amazonia chama_edited.jpg

AMAZÔNIA CHAMA

A plataforma Amazônia Chama/Amazon Shouts é um espaço colaborativo idealizado pelo Instituto de Leitura Quindim (ILQ), em agosto de 2019, após o crescente aumento no número de queimadas e centenas de quilômetros de floresta destruída. 

Depois de uma noite insone, pensando em como contribuir para despertar a consciência sobre o valor da Amazônia, o presidente do ILQ, Volnei Canônica, decidiu mobilizar a classe artística para a causa. Antes mesmo de começar a se movimentar, ainda pela manhã, recebeu a seguinte mensagem da escritora e poeta carioca Roseana Murray:

 

Se trançássemos as mãos,

humanos com humanos,

humanos com árvores,

com todas as plantas,

com rios e mares,

humanos com bichos,

nessa teia de vida,

nesse abraço

caberia o planeta.
 

Esse foi um sinal de que o chamado já estava lançado no ar e começava a fazer barulho. Com Roger Mello (ilustrador e vice-presidente do Instituto) e outros parceiros, a iniciativa ganhou vida.  O projeto mobilizou rapidamente artistas nacionais e internacionais que contribuíram com obras que estão sendo disponibilizadas para o uso público de escolas, bibliotecas e instituições gerando exposições e diferentes trabalhos que reflitam a importância de defender a Floresta Amazônica. 

  

Volnei Canônica e Roger Mello contam com o apoio de artistas de várias partes do Planeta, muito devido suas trajetórias no universo da literatura infantil e juvenil.  Artistas brasileiros como André Neves, Carolina Kasting, Ciça Fittipaldi, Cristino Wapichana, Daniel Munduruku, Daniel Kondo, Felipe Cavalcanti, Graça Grauna, João Azanello Carrascoza, Mariana Massarani, Marcelo Pimentel, Rafael Dambros, Roseana Murray, Taísa Borges, Walcyr Carrasco, além de outros que já estão engajados na causa. 

Agradecemos a todos os que participaram de alguma maneira no desenvolvimento inicial do projeto, em especial às jornalistas Vera Mari Damian e Rose Brogliato, publicitário Caio Britto, tradutora e professora de espanhol Graciela Ferré e professor de tradutor de inglês Ricardo Heinen.

 

Artistas internacionais também ouviram esse chamado da Amazônia e vieram contribuir com suas artes para/com o projeto: Afonso Cruz (Portugal), Alfredo Soderguit (Uruguai), Anabela Dias (Portugal), Constança Araújo Amador, Piet Grobler (África do Sul), Roger Ycaza (Equador), Sebastián Santana Camargo (Uruguai), Sonja Danowski (Alemanha), entre outros.

 

“Conheci a floresta na década de 1990 e depois estive em todos os estados da Amazônia. Tenho uma admiração imensa por tudo o que vem de lá, a natureza, os povos originários, as histórias, a teogonia.  Sem a Amazônia, o clima do planeta Terra não vai mais existir da forma como a gente conhece hoje. O mundo inteiro vai se ressentir disso. Nós acreditamos no poder da arte inclusive como elemento de preservação e de sensibilização de pessoas e povos, especialmente das crianças que viverão o futuro”, diz Roger Mello.  

 

Acompanhe e siga o perfil do Instagram @amazonshouts para acompanhar atualizações do projeto, dica de livros, fotografias, ilustrações, vídeos, trabalhos acadêmicos, entre outras produções, além de notícias do que está acontecendo na Amazônia e nas políticas públicas em defesa da floresta e dos povos originários.